Arquivo da Categoria: Foguetes Maravilha

Premiações

Por “Ninguém falou que seria fácil”, Felipe Rocha ganhou os prêmios Prêmio Shell 2011, APTR 2011 e Questão de Crítica 2011 na categoria autor. “Ninguém falou que seria fácil” também foi indicada ao Prêmio Questão de Crítica em direção, elenco … Continuar a ler

Publicado em Foguetes Maravilha

Um momento privilegiado de bom teatro

Inteligente e original, peça é um exemplo da nova dramaturgia Bárbara Heliodora É mais do que gratificante assistir a uma peça original, inteligente, com conteúdo e divertida, de um jovem autor nacional; “Ninguém falou que seria fácil”, de Felipe Rocha, … Continuar a ler

Publicado em Foguetes Maravilha

Prêmios merecidos

Vencedor absoluto dos três maiores prêmios de teatro do Rio Janeiro, a saber, o Shell, o APTR e o novo (e bem-vindo) Questão de Crítica, “Ninguém falou que seria fácil” é o texto (encenado) do ano. Um dos motivos, talvez, … Continuar a ler

Publicado em Foguetes Maravilha

É como uma brincadeira de criança

Dia 30 de agosto, no Centro Cultural Matarazzo, o grupo Foguetes Maravilha apresentou a peça “Ninguém Falou que seria Fácil”, com direção de Alex Cassal e texto e co-direção de Felipe Rocha. A estrutura da peça se apresenta, logo de … Continuar a ler

Publicado em Foguetes Maravilha

teaser.

Publicado em Foguetes Maravilha

Divertido revezamento pelos personagens de uma família

Ninguém falou que seria fácil. Felipe Rocha é o autor desta pequena pérola do nonsense em cartaz no Espaço Cultural Sérgio Porto. Os personagens da peça, pai, mãe e filha, trocam de intérprete no palco, em afiado jogo cênico. Nomes … Continuar a ler

Publicado em Foguetes Maravilha

Lúdica exposição de flashes de vida

Macksen Luiz A ação não é contínua. Os tempos não são demarcados pela sequência dos segundos. O jogo não tem regras que se precise conhecer de antemão. As interseções de cenas não se fazem pela lógica dramática. A recepção da … Continuar a ler

Publicado em Foguetes Maravilha